foto

Olhar Brasileiro

Eduardo Dusek

E agora só
Sentado nessa sala que não é minha
E que claro por ironia

Me parece tão familiar
Me vem você
Me vem a sua cara
Sua conversa apimentada e rara
E assim digamos tão particular
Escuto o ritmo
Daquele seu simples pandeiro
E até sinto aquele cheiro
De amor e de samba espalhado no ar
E, minha nossa, de repente eu me lembro
Era verão e a gente ficava bebendo
Ia vivendo à beira mar


Todo o mundo sentado
Na varanda do nosso sobrado
E sonhando, altas horas, acordado
Olhando fixo pro luar


Era seresta,
Era uma festa ver você e se apaixonar
Era seu jeito,seus defeitos
Sua maneira de se dar


Era tão quente
Era pra gente tão maneiro que de repente
Você ganhava o mundo inteiro
Simplesmente com o menor
E mesmo agora
Sendo eu o único que resta
Talvez daquela festa
Talvez daquele mar


Eu dou um jeito
Teto fugir, tento esconder mas me ajeito
Me acomodo pois me dói o peito
Somente por tentar lembrar
Daquele cheiro,daquele pandeiro
Daquele Rio de Janeiro
Daquele seu verde olhar brasileiro
Que era meu
publicidade