foto

Sou Quem Sou

Teixeirinha

Sou quem sou, sou assim mesmo
trago o violão na frente
na cabeça eu trago a rima
no peito essa voz dolente

Escrevo a canção que eu canto
faço verso no repente
não tenho culpa se alfguém
diz que eu sou inteligente

No Rio Grande fui educado
religioso e educado
por isso é que eu sou chamado
pra cantar perto de gente

Sigo as leis do meu país
gosto de tudo descente
assim mesmo alguns covardes
me creticam abertamente

De medo mudam de assunto
na hora que estou presente
eles sabem que eu ouvindo
acontece um acidente

Meu braço faz a subida
mato o forte na decida
e de toda a minha vida
no meio de homem valente

Não sou mais do que ninguém
embora meu sangue é quente
garretiei fui lavrador
fui ginete competente

Fiz transporte de boiada
não pedi nada a parente
abri picada em deserto
bebí água de vertente

Quando aprendi o violão
me dediquei a canção
más a minha formação
é de homem de antigamente

Eu tenho cheiro de tera
do índio sou descendente
sou bom pai sou bom marido
sei amar perfeitamente

No romance do carinho
leio frases envolvente
rezo pra quem vive bem
dou remédio pra doente

Só não me pise no pala
porque meu revólver fala
e o preço de minha bala
é uma morte de repente
publicidade