foto

Ninfomaníaca

Ferrugem

Ela é um perigo, não tem juízo
Não nega fogo, é de bater de frente
É levadinha, assanhadinha
Tem um talento natural que deixa a chapa quente
Faz cara de malvada, é muito bem falada
E diz que é muita areia pra quem tem caminhãozinho
Uma pimenta ardente, é um caldo fervente
Que queima a boca de quem não sabe comer quentinho

Ela pega geral
Ela pega geral
Ela pega geral
Ela pega geral

Eu quero ouvir, eu quero ouvir

Ela pega geral
Ela pega geral
Ela pega geral
Ela pega geral

Oba

Ninfomaníaca, ela só quer se dar
O que pintar já é, toda hora quer
Ninguém consegue acalmar o furacão dessa mulher

Ninfomaníaca, ela só quer se dar
O que pintar já é, toda hora quer
Ninguém consegue acalmar o furacão dessa mulher

Ela é um perigo, não tem juízo
Não nega fogo, é de bater de frente
É levadinha, assanhadinha
Tem um talento natural que deixa a chapa quente
Faz cara de malvada, é muito bem falada
E diz que é muita areia pra quem tem caminhãozinho
Uma pimenta ardente, é um caldo fervente
Que queima a boca de quem não sabe comer quentinho

Ela pega geral
Ela pega geral
Ela pega geral
Ela pega geral

Eu quero ouvir, eu quero ouvir

Ela pega geral
Ela pega geral
Ela pega geral
Ela pega geral

Oba

Ninfomaníaca, ela só quer se dar
O que pintar já é, toda hora quer
Ninguém consegue acalmar o furacão dessa mulher

Que mulher hein

Ninfomaníaca, ela só quer se dar
O que pintar já é, toda hora quer
Ninguém consegue acalmar o furacão dessa mulher

Ninfomaníaca, ela só quer se dar
O que pintar já é, toda hora quer
Ninguém consegue acalmar o furacão dessa mulher

Ninfomaníaca, ela só quer se dar
Oque pintar já é, toda hora quer
Ninguém consegue acalmar o furacão dessa mulher

Ela é um perigo, não tem juízo
Não nega fogo, é de bater de frente
É levadinha, assanhadinha
Tem um talento natural que deixa a chapa quente

compositores: CLAUDEMIR DA SILVA, MARQUINHO INDIO MARQUINHO INDIO, MARIO CLEIDE CORREIA DO NASCIMENTO, ROSANA SILVA
publicidade
publicidade