foto

Sem Você

Fernando Mendes

Sem você...
Até um pingo d’água de afoga
A minha liberdade é uma droga
A própria esperança cheira mal

É! Sem você...
O mais fiel calçado perde o fundo
O mais bonito quadro fica imundo
Até um santo vira marginal

Sem você...
Da quase tudo errado em meu check-up
A crença no futuro é mero escape
Detalhes morrem antes de nascer

Sem você...
Qualquer história fica mal contada
Meu paço é uma queda disfarçada
Não morro só porque não sei morrer

Você foi o que eu mais era e não sabia
Você era o meu motor de cada dia
Você foi o que eu mais era e não sabia
Você era o meu motor de cada dia

Sem você...
O medo é o que resta no meu rosto
Pareço um cão gritando em mês de agosto
Fatal conspiração dos ventos maus

Sem você...
Enfim não sei dizer o que não digo
Complicaria mais o meu castigo
Não posso botar ordem no meu caos

Você foi o que eu mais era e não sabia
Você era o meu motor de cada dia
Você foi o que eu mais era e não sabia
Você era o meu motor de cada dia
publicidade
publicidade