Grão de Areia

Diogo Nogueira

Clareia, clareia
Essa escuridão
Clareia, clareia
Toda intolerância alheia
Clareia o meu coração
Clareia

Santa Clara brilhai
(?)
Sua luz nas minhas veias

Se a mente anda na escuridão
Toda terra planteia
Clareia a nossa missão,
E a nossa intolerância maqueia

Criança virando carvão
E as minas cá do meu sertão
Mas sei que meu samba é um grão de areia

Clareia, clareia
Minha solidão
Clareia, clareia
Toda intolerância alheia
Clareia o meu coração
Clareia

Se o amor é o poder que nos semeia
Tua nova vai ser a lua cheia
Se a flor muda a corrupção que o planeta incendeia
Tem rico assaltando ladrão, pastores curtindo as ovelhas

Tem nego explodido no chão
Dizendo que leu Alcorão
Que somos todos irmãos
Clareia

Clareia, clareia
Minha solidão
Clareia, clareia
Toda intolerância alheia
Clareia o meu coração
Clareia

Meu São Jorge empunhai sua lança
E o dragão da maldade não vai nos alcançar
Que o mal que germina na terra o homem semeia
Meu samba é um pedido de paz
Batuca que a coisa tá feia

Nas ruas o povo é capaz
Cantando é que os nós se desfaz
Quem faz samba pra Deus lá no céu
(?)

Clareia, clareia
Essa escuridão
Clareia, clareia
Toda intolerância alheia
Clareia o meu coração
Clareia

Simbôra clareia

Clareia, clareia
Minha solidão
Clareia, clareia
Toda intolerância alheia
Clareia o meu coração
Clareia



Porta-Voz Da Alegria
Album: Porta-Voz Da Alegria
Gravadora: Universal Music International Ltda.
Ano: 2015
Faixa: 9
  • publicidade