foto

Casos Pendentes (Acústico)

Diego & Arnaldo

Demorei para acreditar
Quando te vi chegando no carro com ele sentada no banco ao lado que sempre foi o meu lugar
Me olhou de canto, fez que nem me notou
Mas usava o vestido azul que eu te dei de presente para sair comigo, “cê” nunca usou
Mas eu prometi te esquecer, essa promessa eu não vou quebrar
Mas depois dessa cena, eu vou continuar
Sentado no bar embriagado tomando cerveja
A culpa é do garçom que abastece a minha mesa
Ele já percebeu que eu tô no fundo do poço
O álcool é meu consolo eu viro copo atrás do outro
As lágrimas caem agora e a culpa é das lentes
Não pense que é porque eu te vi com ele na minha frente
Você pra mim é um caso morto e enterrado num livro de casos pendentes

Mas eu prometi te esquecer, essa promessa eu não vou quebrar
Mas depois dessa cena, eu vou continuar
Sentado no bar embriagado tomando cerveja
A culpa é do garçom que abastece a minha mesa
Ele já percebeu que eu tô no fundo do poço
O álcool é meu consolo eu viro copo atrás do outro
E as lágrimas caem agora e a culpa é das lentes
Não pense que é porque eu te vi com ele na minha frente
Você pra mim é caso morto e enterrado num livro de casos

Sentado no bar embriagado tomando cerveja
A culpa é do garçom que abastece a minha mesa
Ele já percebeu que eu tô no fundo do poço
O álcool é meu consolo eu viro copo atrás do outro
E as lágrimas caem agora e a culpa é das lentes
Não pense que é porque eu te vi com ele na minha frente
Você pra mim é um caso morto e enterrado num livro de casos pendentes
Você pra mim é caso morto e enterrado num livro de casos pendentes
publicidade
publicidade