Boca Livre

Fazenda

Boca Livre

Água de beber
Bica no quintal
Sede de viver tudo
E o esquecer era tão normal

Que o tempo parava
E a meninada respirava o vento
Até vir a noite
E os velhos falavam

Coisas dessa vida
Eu era criança
Hoje é você
E no amanhã, nós
Água de beber
Bica no quintal
Sede de viver tudo
E o esquecer era tão normal
Que o tempo parava
Tinha sabiá, tinha laranjeira
Tinha manga-rosa
Tinha o sol da manhã
E na despedida
Tios na varanda
Jipe na estrada
E o coração lá
publicidade