Cachaça, Árvore e Bandeira

Ze Renato, Moacyr Luz, Jards Macalé & Guinga

Gênio da raça: Carlos Cachaça,
- dos Arengueiros, a Fina Flor...
Mito da Massa, Carlos Cachaça,
Da Verde-Rosa, o embaixador...
O tempo passa, na corredeira
Carlos Cachaça bebeu Mangueira,
Raiz e tronco, folha sagrada onde o morro
Reescreve a história do seu povo,
Mas essa é verdadeira!
São os tambores, que narram a lenda guerreira,
No quilombo da Estação Primeira (bis)


É tão bonito,
Ver um sambista, transformar-se em dança
De ramos verdes onde o vento e a sombra,
Transmitem aos filhos sua herança,
Quando o arvoredo amanhece
Vestindo o rosa da aurora bordadeira
Cada estrela troca o céu,
Pela bandeira da Mangueira.
Alvorada, lá no morro que beleza,
Ninguém chora não há tristeza,
Ninguém sofre dissabor.
O sol colorindo é tão lindo, é tão lindo,
E a natureza sorrindo, tingindo, tingindo.
  • publicidade