Da Mãe

Zé Ramalho

Escrever para a mãe
Como quem escreve para o início
Para a origem do primeiro sopro
Para as carnes que me envolveram
Em meu corpo pleno de plasma
Escudo, cama e o teto
Quando tudo era de cristal
Mulher de ferro derretida em fogo
Lava cuspida em dor e cor
Estaticamente parada de pé
Escorrega e espera-me
Que um vulto passe e lhe toque
Sua pele metálica e macia
Rígido olhar de procuras
Mordida de átomos
Alquímicas e nuas
Suas duras paixões
Movimentos quebraram
Dunas e arestas do estômago
Que a mim tão bem me cabiam

Envie essa música para um amigo

Album: Zé Ramalho (2003)
Gravadora: Sony Music
Ano: 2003
Faixa: 121
  • publicidade
  • Top Músicas
  • 01 Avohai
  • 02 Sinônimos (Ao Vivo)
  • 03 Kriptonia
  • 04 Justiça Cega
  • 05 Entre A Serpente E A Estrela
  • 06 Chão de Giz (part. Elba Ramalho)
  • 07 A Terceira Lâmina
  • 08 Chão De Giz
  • 09 Admiravel Gado Novo
  • 10 Garoto de Aluguel