foto

Pedaço de Mundo

Walther Morais

A porteira escangalhada do mais tristonho abandono
Um cuzco baio coleira grunindo a falta do dono
o gado panta berrando lá na imbernada do fundo
mais que tristeza meu Deus neste pedaço de mundo

Um dia quando me fui, era tudo diferente
o pai, a mãe, os irmãos, o rancho cheio de gente
o jardizinho campeiro com rosas e margaridas
nesse lugar tinha tudo e acima de tudo vida

Quando um gaúcho troca o campo pela cidade
nem mesmo o tempo apaga o rastro da saudade
a paz que tanto campeia, dentro de si bem no fundo
só encontra estando de volta, neste pedaço de mundo

A paz que tanto campeia, desntro de si bem no fundo
só encontra estando de volta, neste pedaço de mundo

Uma tristeza da luta sucou em mim o seu rastro
a sede de tantas coisas, deixei entre o cèu e o pasto
o entorno de monarca murchou nas léguas da estrada
e pra me encontra só voltando pra minha antiga morada

Vou comprar um cavalo bueno e voltar lá qualquer dia
bombeada cortada a reio, as varzeas e pradarias
beber água nas cacimbas na concha das tuas mãos
pra matar a sede que eu tenho deste pedaço de chão

Quando um gaúcho troca o campo pela cidade
nem mesmo o tempo apaga o rastro da saudade
a paz que tanto campeia, dentro de si bem no fundo
só encontra estando de volta, neste pedaço de mundo

A paz que tanto campeia, desntro de si bem no fundo
só encontra estando de volta, neste pedaço de mundo

publicidade