Boteco de Esquina

Victor e Leo

Não posso dizer o nome do lugar
Mas era um charmoso boteco de esquina
Dona Sônia fazia sanduíches e drinques
Fernandinho deixava a moçada nos trinques
"Ele era o garçom, hei garçom"

Lembro de uma mulata que era um pedaço
De uma loira tão quente que deixava rastro
Uma linda morena me deixou assim
Com o marido do lado sorria pra mim
"Eu era o cantor, oh morena"

Aniversariante ganhava birita
Cachaça no canudo era Maledita
Quem bebia esquecia da idade sem ver
Que o dia já estava para amanhecer
"Os meus parabéns, felicidades"

Fim de noite é sempre começo de dia
Todo boteco tem um sabor que vicia
Desligamos o som, eram cinco pras seis
E um bebum pediu "Fio de cabelo" outra vez
"Ele era freguês, vamo atender"

Quando a gente ama
Qualquer coisa serve para relembrar


capa do álbum Amor de Alma de Victor e Leo
Album: Amor de Alma
Gravadora: Sony BMG Music Entertainment
Ano: 2011
Faixa: 1