foto

A Minhoca - Beijos de Corpo

Velhas Virgens

Aconteceu num sítio perto de sorocaba
(todo mundo travado e bem louco)
Era carnaval, ninguém pensava em nada
(todo mundo travado e bem louco)

Amanhecia o dia era piscina e som

E de repente alguem acendia um do bom

E todo mundo fumou e bebeu pra se divertir

Até quem não era da fumaça, fumou

Deu um pega, ou dois

Mas a larica bateu forte

Nove da manhã tinha picanha na brasa
(todo mundo travado e bem louco)
Leite condensado era bebido na lata
(todo mundo travado e bem louco)

Fazendo caipirinha e tocando rock'n'roll

De cabeça feita jogando futebol

E todo mundo fumou e bebeu pra se divertir

Sem culpa nem medo, só rolava alegria
(todo mundo travado e bem louco)
A gente só fazia aquilo que queria
(todo mundo travado e bem louco)

Ninguém era bandido, traficante, o que for

Só tinha estudante e trabalhador

E todo mundo fumou e bebeu pra se divertir

(todo mundo travado e bem louco)
(todo mundo travado e bem louco)


A noite é boa, é sexta feira
E desta vez eu não vou dançar
Não vou atrás das dondoquinhas
Tão bonitinhas mas frescas demais
Muito contato e pouco papo
Eu tô afim de muita ação
Eu quero beijos, beijos de corpo
Eu tenho grana, bebida e tesão

Nós tamos indo pra zona
Nós tamos no maior porre
Antes do dia clarear esta cidade
Vai pegar fogo

De mini-saia, pelas calçadas
Me diz seu preço, eu quero pagar
Por dez minutos, por cem mil anos
Faço tudo pra poder te tocar
Eu vou beber da sua língua
Eu vou medir você inteirinha
Não faz frescura, tira essa roupa
Quero te ver subir e descer

No rádio um rock das Velhas Virgens
Lá fora a noite inteira rolando
A gata em brasa e eu no fogo
Os dois suados, viagem das mãos
São tantas pernas. Perdi as minhas
Achei as tuas, teu sexo, tua boca
Foras da lei urbanos, índios de asfalto
Pela cidade sem roupa

Nós tamos todos em cana
O sarro é do delegado
O rock rolando solto
atrás das grades
todo mundo de fogo

publicidade
publicidade