foto

Não É Gaúcho Quem Não Gostar de Cavalo

Tchê Barbaridade

Junto com minha tropilha que um por um embuçalo
E me entende quando falo, esta potrada de luxo
Por certo não é gaúcho quem não gostar de cavalo

Me criei numa canhada lá no fundo da estância
Sufocando a própria ânsia da minha vida campeira
Lidando a semana inteira pra cumprir minha jornada
Pulando de madrugada antes de romper a aurora
Eu saía campo fora pra recolher a manada

Junto com minha tropilha que um por um embuçalo
E me entende quando falo, esta potrada de luxo
Por certo não é gaúcho quem não gostar de cavalo

Lidando com gado brabo potro xucro e redomão
Maneia e buçal na mão um par de rédeas e bocal
Puxando queixo de bagual fui crescendo acostumado
E algum turuno extraviado nunca me escapou do laço
São os serviços que faço bem assim que fui criado

Junto com minha tropilha que um por um embuçalo
E me entende quando falo, esta potrada de luxo
Por certo não é gaúcho quem não gostar de cavalo

Por gostar da lida bruta me apelidaram nativo
Deste jeitão que eu vivo do campo eu não me afasto
Enforquilhado nos bastos vou cumprindo a minha sina
Sei que esta vida termina tenho certeza que morro
Se faltar pingo e cachorro rodeio fandango e china

Junto com minha tropilha que um por um embuçalo
E me entende quando falo, esta potrada de luxo
Por certo não é gaúcho quem não gostar de cavalo
publicidade