foto

Algoritmo

Rosa de Saron

Há o finito, ele então caminhará sob o luar
E se o ver, decore onde ele está
Porque ao vê-lo, indicará por onde deve ir
E não espere a noite terminar
É onde o sereno chora em seu lugar

Não existe um jeito certo
De fazer uma coisa errada
Ou se acerta ou se erra
E se pode ser melhor que é
É evidente que ainda não é tão bom assim

Há o infinito, há o céu e há o discurso
De quem perdeu seu curso
Agora esta aí à deriva
Setecentas e setenta e sete luzes
Não puderam iluminar
A sombra que escondeu-se do seu lar

Não existe um jeito certo
De fazer uma coisa errada
Ou se acerta ou se erra
E se pode ser melhor que é
É evidente que ainda não é tão bom

Há o erro e outra vez
Outra chance, outro lugar
E enquanto o sábio aponta o céu, o idiota
Olha o dedo mas estrela já não há
Explodiu, não existe mais
O algoritmo venceu
Sinal, síntese, sintomatismo
Meu amor, veja bem
Diga amém
Durma bem

Não existe um jeito certo
De fazer uma coisa errada
Ou se acerta ou se erra
E se pode ser melhor que é
É evidente que ainda não é tão bom

Veja bem
Diga amém
Durma bem

compositores: GUILHERME DE SA
publicidade
publicidade