foto

Por Entre os Dedos (feat. Dj An)

Ponto Nulo no Céu

Não me satisfaz, não me satisfaz
O que não presta mais, não me apraz; jogo fora

Já não me satisfaz só perceber beleza exterior
Já não me aprazem os sinais diários deste torpor se transformando em rotina

Tudo se esvai por entre os dedos, no fim

Acúmulo de problemas irreais, em demasia
Mesmas histórias, mesmos finais, repetida alegoria
Já não me apetece mais a falta de um sentido verdadeiro
Nos encontros dos corpos que procuram um abrigo no vazio de outros corpos

Angústia quando sente, consome lentamente
Acomete, como sempre, o ânimo
Tristeza não tem fim, felicidade sim
Os tempos são ruins, mas devem clarear
Cansaço nunca vence, quando a vontade cresce e o brio prevalece, perfura o breu

Não me satisfaz, não me satisfaz
O que não presta mais, não me apraz; jogo fora

Já não me satisfaz só perceber beleza exterior
Já não me aprazem os sinais diários deste torpor

Tudo se esvai por entre os dedos, no fim
publicidade