foto

História Estranha - Léo e Bia

Oswaldo Montenegro

Cada história era um sinal
Que o menestrel inventa
E eu era assim, meio anormal
Achava que ia ser herói
Fumando hollywood
Vendendo saúde
Navegando doido
Doido, doido, doido
E sujo de sal

Cada filme era fatal
Voava a década de oitenta
Rumo ao seu final
Achava que ia ser herói
Fumando um hollywood
Vendendo saúde
Navegando doido
Doido, doido, doido
E sujo de sal

Cada louco é se não fosse também aqui
Chuva de colibri eu sou um louco santo, ah!
Eu te amo e jaz
Por trás, onde trás do sol
Nosso sonho de voar

Era uma história estranha
Que eu sempre quis decifrar
Mas hoje conto sem pensar
Que a explicação que eu sei que se não há
Sobra luz nesse caos de paixões

No centro de um planalto vazio
Como se fosse em qualquer lugar
Como se a vida fosse um perigo
Como se houvesse faca no ar
Como se fosse urgente e preciso
Como é preciso desabafar
Cuidar de amor exige mestria
E Léo e Bia souberam amar...
publicidade