Atentar a tudo
Mantendo a mente alerta
Apertar o passo
O rumo a gente acerta
Assimila a pancada, o tombo
e se levanta em dobro...
Vai!
A dança avança!
Não crie expectativa
Não pergunte como foi o dia
Não se preocupe à toa
É duro andar à deriva...
Acertar a mão
Não arredar o pé
Não perder a cabeça
Pois que assim seja:

Sublime!
Aonde eu for contigo... É abrigo!
Um filme!
Nosso maior castigo...?
No fundo somos todos sós!

Não repare na bagunça
Por aqui a vida pulsa
Por aqui a vida passa
E ameaça não assusta
Há quem insista em ter
Tanto de tudo pra se saciar e só
se saciar e só!
Não crie expectativa
Não pergunte como foi o dia
Não se preocupe a toa
Não há tempo e o tempo voa!
Acertar a mão
Não arredar o pé
Não perder a cabeça
Pois que assim seja!

Sublime!
Aonde eu for contigo
É abrigo!
Um filme!
Nosso maior castigo
No fundo somos todos sós!

No fundo somos todos sóis e estrelas!
publicidade