Quando isso tudo passar por nós
Não tenha medo de nada
Seremos porto seguro
E tudo que tarda não falha

Quando isso tudo passar por nós
Trazendo silêncios, ciladas
Pequenos lugares escuros
No decorrer da jornada

Quando absurdos tomarem voz
Não tenha medo de nada
Seremos gritos e cantos, tantos!
Labareda, alvorada!

Quando esse surto hostil, atroz
Se desmanchar nos pensares
Seremos seres possíveis
Apesar dos pesares!

Nossa força em convergência
Alma aflora resistência
Contra a fúria: coerência
Venha o que vier...
Não nos deterá!

Venha o que vier...
Não nos deterá!
Venha o que vier...
Não nos deterá!
Venha o que vier...
Não nos deterá!

Quando isso tudo passar por nós...
publicidade
publicidade