"É liberdade", diz Henrique e Juliano sobre machismo nas letras

, 15h16, por Alexandre Murari
Divulgação

Desde o seu lançamento, vários sites e blogs que lutam contra o machismo apontam que a música "Vidinha de Balada", da dupla Henrique e Juliano, narra a história de um relacionamento abusivo, como se o homem estivesse obrigando a mulher a ficar com ele com os versos "Vai namorar comigo, sim / Vai por mim, igual nós dois não tem. / Se reclamar cê vai casar também, com comunhão de bens" e "Tô a fim de você e se não tiver, cê vai ter que ficar".

→ Após anúncio de turnê, membro do Smiths nega a sua participação

→ Paulo Gustavo tenta, mas Pabllo Vittar pode assumir reality

Após a repercussão e o tamanho da polêmica, a dupla Henrique e Juliano, em entrevista ao G1, falou sobre o assunto e o que eles acreditam da música. "Não vejo abuso. Eu acho que é o lado engraçado do Henrique e Juliano”, declarou o cantor Henrique.

→ Neil Diamond revela que tem Parkinson e cancela turnê

A dupla justifica que a liberdade artística é o mais importante na composição da música: "Vejo abuso das pessoas quererem julgar o trabalho das outras. Acho que arte é liberdade e quando você tem liberdade, você pode falar sobre o que você pensa, sobre o que você realmente acredita, desde que você não ofenda ninguém”, explicou.

Os sertanejos também fazem uma análise pessoal sobre a canção: "O cara falar ‘eu vim acabar com a sua vidinha de balada’ é porque agora eu quero que a gente viva uma balada juntos, que o cara não saia às vezes sozinho com os amigos para aprontar, e a mulher também”, explicou.