Álbum "Origen" de Dulce María é sobre reconexão e ancestralidade; confira!

, 17h37, por Nicole Demartini

Reconexão, Transcendência e Expressão. Essas são as palavras para a nova fase de Dulce María.

Aos 35 anos, tendo começado sua carreira artística aos 5, Dulce entrou em uma jornada desde 2018 para se reconectar às raízes e se recordar do porquê começou.  Um projeto pessoal e independente, já que se desligou da Universal Music para realizar sozinha o lançamento, e que envolve tradições, natureza e ancestralidade.

Em coletiva de imprensa, Dulce reforça que está sim em constante estudo sobre o que está em alta e o que as pessoas estão ouvindo, mas mais do que isso, investe em originalidade e pessoalidade no novo álbum. Além disso, Dulce tem a vontade incessante de ajudar e dar visibilidade aos povos originários.

Quando se interessou pela luta das mulheres indígenas, foi difícil encontrar grandes fundações para investir e ajudar, mas quando encontrou, pôde experenciar nas comunidades rituais e formas de expressão diferentes, que a conectou com os ciclos da vida a partir da natureza.

Agora quer não só se envolver como também promover campanhas com seus fãs e amigos para ajudar mulheres indígenas e artesãs, já que suas lutas são muito importantes e, infelizmente, ao mesmo tempo, apagadas pela sociedade moderna. 

Esse propósito, enfim, acaba por trazer à tona a verdadeira Dulce María. 

"Todos nascemos com algo a dizer e expressar. "Origen" é para que você não desista de ser você mesmo e lutar pelas suas causas, pelo que você acredita"

As novas canções já estão disponíveis em todas as plataformas digitais, e o videoclipe de "Origen", que dá nome ao álbum, você assiste agora: