Taylor Swift e Paul McCartney, juntos, na capa da Rolling Stone!

, 11h27, por Amanda Ramalho
Reprodução

Ai meu DEUSSS!!

Um dos encontros que mais aguardávamos finalmente aconteceu: Taylor Swift e Paul McCartney estão juntos na capa da revista Rolling Stone!

Duas gerações diferentes do mundo da música, unidos em um único espaço. A capa de uma das maiores publicações do mundo. A conceituada revista convidou os dois artistas para falar sobre música. E olha... ambos tem muito assunto pra conversar.

De um lado um artista que marcou uma geração e escreveu seu nome na história. Do outro, uma mulher, jovem, que 'derrubou' diversos artistas e tem números de vendas e streamings impressionantes em pouquíssimo tempo.

Na chamada, "músicos sobre músicos" e um semblante de quem sabe que nunca mais sairão do mundo musical.

"Acho que é importante ressaltar que se este ano tivesse acontecido da maneira que pensávamos que seria, você e eu teríamos tocado em Glastonbury este ano e, em vez disso, você e eu fizemos álbuns em isolamento", comentou Taylor Swift logo no início do bate-papo.

Taylor lançou "Folklore" e Paul lançará McCartney III, no dia 11 de dezembro.

Entre uma conversa e outra, Taylor aproveitou para falar sobre como foi a produção do disco e as parcerias que envolveu no projeto.

Sim, em algumas delas, mas muitas delas foram feitas com Aaron Dessner, que está em uma banda chamada National que eu realmente amo. E eu o conheci em um show um ano antes, e tive uma conversa com ele, perguntando como ele escreve. É a minha coisa favorita perguntar às pessoas de quem sou fã. E ele teve uma resposta interessante. Ele disse: "Todos os membros da banda vivem em diferentes partes do mundo. Então eu faço rastros. E eu os envio para o nosso vocalista, Matt, e ele escreve a linha principal. "Só me lembro de pensar: 'Isso é muito eficiente'. E eu meio que armazenei no meu cérebro como uma ideia futura para um projeto. Você sabe, como você tem essas ideias... "Talvez um dia eu faça isso". Sempre tive na minha cabeça: 'Talvez um dia trabalhe com Aaron Dessner'.

Então, quando o bloqueio aconteceu, eu estava em LA e meio que ficamos presos lá. Não é um lugar terrível para ficar preso. Ficamos lá por quatro meses, talvez, e durante esse tempo, enviei um e-mail para Aaron Dessner e disse: "Você acha que gostaria de trabalhar durante esse tempo? Porque meu cérebro está todo confuso e eu preciso fazer algo, mesmo que estejamos apenas fazendo músicas que não sabemos o que vai acontecer.

E descobri que ele vinha escrevendo faixas instrumentais para não enlouquecer durante a pandemia também, então ele me enviou este arquivo de provavelmente 30 instrumentais, e o primeiro que abri acabou sendo uma música chamada "Cardigan". E realmente aconteceu rápido assim. Ele me enviaria uma faixa; faria novas faixas, adicionaria à pasta; Eu escreveria a linha principal inteira de uma música, e ele não saberia sobre o que a música seria, como seria chamada, onde eu colocaria o refrão. Eu tinha pensado originalmente: 'Talvez eu faça um álbum no próximo ano, e lance em janeiro ou algo assim', mas acabou sendo feito e nós lançamos em julho. E eu pensei que não havia mais regras, porque eu costumava colocar todos esses parâmetros em mim, tipo: 'Como essa música vai soar em um estádio? Como essa música vai soar no rádio?'. Se você remover todos os parâmetros, o que você fará? E acho que a resposta é 'Folclore'.

A entrevista na íntegra com a integração de Paul McCartney você confere no site da Rolling Stone.

Fique por dentro de tudo o que rola no mundo da música. Curta a nossa página no Facebook!

Ouvir músicas de Taylor Swift    |    Ouvir músicas de Paul McCartney