Selo de Baco Exu do Blues e Leonardo Duque lança projeto Bandele na semana da Consciência Negra

, 16h06, por Nicole Demartini

"999" é o nome do selo que evidencia artistas negros que não são colocados sob os holofotes. Criado por Baco Exu do Blues e pelo produtor Leonardo Duque, o selo lança agora no mês da consciência negra o projeto Bandele, apoiado pela PUMA BRASIL e Altafonte Fundação.

Advinda da Nigéria, a palavra "bandele" significa "nascidos longe de casa". Para Baco, "é muito importante apresentar novos artistas pretos num projeto como esse, que já mostra sua força pelo significado do nome. Acho que todo negro no Brasil entende sobre não se sentir pertencente ao seu próprio lugar. E este projeto é uma nova casa pra gente, uma conexão com nossas origens".

O projeto contará ainda com os artistas: Vírus, Dactes, Muse Maya, Young Piva e Celo Dut. Ao todo, serão seis faixas inéditas lançadas com direito a performances audiovisuais, que reafirma o talento e o poder da da 999.

Todas as faixas serão dirigidas pelo Baco e terão como tema a luta, a dor e o talento do povo preto, a começar pelo lançamento dia 16 de novembro (segunda-feira) do single "Mercado Modelo", de Vírus. Dois dias depois, a faixa "Não abrir mão de nada" de Dactes será lançada. Já no dia da Consciência Negra (dia 20, sexta-feira) é a vez da nova música de Baco Exu do Blues, "Tommie Smith". Na semana seguinte, chegam aos aplicativos de música "Deus em pele de farsa" de Young Piva, "Sauce" de Muse Maya e "Ilhada" de Celo Dut nos dias 23, 25 e 27, respectivamente. 

CRONOGRAMA YOUTUBE (12H):

  • 16/nov - Vírus - Mercado Modelo 
  • 18/nov - Dactes - Não Abrir Mão De Nada
  • 20/nov - Baco Exu do Blues - Tommie Smith
  • 23/nov - Young Piva - Deus Em Pele de Farsa
  • 25/nov - Muse Maya - Sauce
  • 27/nov - Celo Dut - Ilhada

"A 999 é uma fábrica de sonhos da arte negra. Nossa comunhão é sempre algo muito marcante e quando a gente se junta para falar com um propósito tem um impacto muito grande", afirma Baco. "Somos um selo de artistas negros e não tinha como deixar o mês da consciência negra passar sem uma manifestação nossa. A ideia veio dessa vontade de criar um conteúdo tanto musical quanto informativo neste momento", explica.

"Vivemos num país altamente racista, que mata dezenas de negros diariamente. Compreender a dimensão da abrangência do termo consciência negra,  significa entre muitas outras coisas, entender que ela não pode se resumir a um mês ou a um dia. Significa respeitar toda uma luta ancestral", discursa.

Foto: Vulgo Jr. / Divulgação

Ouça as músicas de Baco Exu do Blues.