Mary fala sobre quando descobriu a bissexualidade de Freddie Mercury

, 12h29, por Amanda Ramalho
Divulgação

A vida de Freddie Mercury, do Queen, sempre foi um livro aberto. Entretanto, no início ascensão da carreira as coisas não eram bem assim - principalmente em seu relacionamento com Mary Austin.

O casal ficou junto por seis anos e mesmo com o fim do namoro, eles permaneceram amigos e Mary seguiu como uma ótima amiga/companheira até a sua morte.

Mas antes da amizade se fortalecer, Mary contou no documentário "Freddie Mercury: The Untold Story", que os últimos dois anos foram cheios de desconfianças e conflitos.

"Eu sabia que este homem não estava bem consigo mesmo em um ponto (...) Eu pude ver que ele estava se sentindo mal sobre algo, não estava se sentindo confortável, evitando situações, o que não era [normal para o] Freddie. Essas coisas não eram a pessoa que eu conheci".

Quando Freddie contou que era bissexual, a relação entre eles ficou mais leve.

"Foi um alívio, realmente, ouvir isso dele (...) De suspeitar que isso, provavelmente, foi o problema dos últimos dois dos seis anos que estávamos juntos, saber que eu tinha acertado mais ou menos. Mas, certamente, uma vez que discutimos isso, ele era uma pessoa diferente. Ele era como a pessoa que eu conheci nos primeiros anos. Foi bom ver o Freddie… Foi melhor, foi maravilhoso. Você não pode negar para Freddie o direito dele estar bem com ele mesmo (...) Eu vejo isso como um amor que você aceita e, de alguma forma, entende, porque você quer que o interior da pessoa cresça e você está fascinado em ver essa pessoa totalmente à vontade e bem consigo mesma", contou Mary.

Fique por dentro de tudo o que rola no mundo da música. Curta a nossa página no Facebook!