Kanye West publica vídeo urinando em um troféu do Grammy

, 14h46, por Nicole Demartini

Ontem, quarta-feira (16), o rapper Kanye West chocou o mundo da música com uma postagem polêmica no Twitter. Em vídeo, ele urina em um troféu do Grammy que está dentro de uma privada. Lembrando que West é um dos maiores ganhadores do Grammy, colecionando 21 troféus.

Há tempos que o rapper, compositor, produtor e empresário vem protestando contra a indústria da música norte americana. Ele já havia afirmado que não lançaria novas músicas até que encerrasse seu contrato com a gravadora Sony / ATV Music Publishing, e com a Universal Music Group. Seus protestos denunciam uma indústria que escraviza, manipula e extorque artistas. E ele não parou só no vídeo, não! Kanye também expôs dezenas de imagens de seus contratos com a produtora e com a gravadora. Inclusive, após todas as exposições que fez, teve sua conta do Twitter temporariamente suspensa.

90% dos contratos de gravação do planeta ainda estão em royalties. Um contrato de gravação padrão é uma armadilha para NUNCA recuperá-lo, e há todos esses custos ocultos, como as "taxas de distribuição" que muitas gravadoras colocam em seus contratos para ganhar ainda mais dinheiro fora do nosso trabalho, mesmo sem tentar. (Tradução nossa)

Foto: Divulgação

Ainda nesta semana, West comparou a indústria da música norte americana a navios negreiros modernos, se declarando o novo “Moisés” ao livrar os artistas da Universal Music e da Sony dos contratos absurdos. Para tal luta, convocou artistas como Bono, Paul McCartney e até Taylor Swift, com quem já se envolveu em grandes polêmicas.

Em conversas divulgadas pelo próprio rapper, ele não se mostra aberto à negociações com as corporações que envolvem as gravadoras e se mantem firme na luta pelos direitos de suas músicas. O advogado propõe a ele a regravação (remasterização).

Quanto à divulgação que fez com que sua conta fosse suspensa, trata-se do número do celular de um editor da Forbes. O cantor havia ficado descontente com uma entrevista dada à revista norte-americana e fez graves acusações. Na publicação, a frase: "se algum de meus fãs quiser chamar um supremacista branco… este é o editor da Forbes".