Entrevista: Roberta Campos

, 17h08, por Da redação, por Tatiana Pires

Seu estilo musical é o Pop/Folk e ela acredita que é possível fazer música romântica sem ser cafona "O amor é brega, mas é o sentimento mais bonito que existe!! O que é considerado cafona para alguns, pode não ser por outros..."

Mineira, de Caetanópolis, radicada em São Paulo (SP), a cantora e compositora Roberta Campos produziu, sozinha, o seu primeiro disco autoral, "Para Aquelas Perguntas Tortas", que chegou ao mercado de forma independente. No ano passado, ela lançou "Varrendo a Lua" e com ele está na estrada desde então. Mas na próxima sexta-feira, dia 2, o espetáculo ganhará algumas novidades, como uma homenagem ao rei Roberto Carlos e duas canções inéditas.

Conheça um pouco mais do trabalho de Roberta Campos na entrevista a abaixo:

Kboing - Houve algum momento em que você acordou e disse: vou ser cantora? Conta pra gente o início da sua trajetória musical.
Roberta Campos -
Me lembro de ter essa vontade desde muito criança, acredito que nasci com isso. Comecei a tocar violão aos 11 anos de idade, tive algumas bandas no colégio e em 1999 comecei a levar a música como profissão. Em 2004, me mudei pra São Paulo e encontrei a minha "estrada de fazer o sonho acontecer", comecei a ir em saraus e conhecer uma galera da música... Em 2008, gravei um disco chamado "Para Aquelas Perguntas Tortas", que me abriu várias portas. A rádio Nova Brasil FM, aqui de São Paulo, começou a tocar uma canção desse disco e também me apresentou para gravadora Deckdisc, assinei contrato com eles e gravei meu segundo disco "Varrendo a Lua", lançado em 2010.

Kboing - Como você define o seu estilo musical?
Roberta Campos -
Uma mistura de todas as coisas que gosto e escuto, minhas influências... Acho que um Pop/Folk seria uma definição legal!

Kboing - No próximo sábado, dia 2, você dá uma repaginada no novo show “Varrendo a Rua”. Quais as novidades que o público irá conferir?
Roberta Campos -
Na verdade, venho fazendo esse show desde que lancei o disco em abril/2010, mas claro, que hoje mais maduro e com algumas novidades, como ter um teclado neste show, vou cantar uma canção de um cara que me influenciou bastante que é o Roberto Carlos e duas canções novas, estou bem feliz com esse show.
 
Kboing - Como surgiu essa ideia de homenagear o rei?
Roberta Campos -
Quando criança eu ouvia muito os discos do Roberto, minha tia gostava bastante, e eu adorava ficar ali cantando junto e lendo o encarte do álbum... Roberto Carlos é uma influência e vou cantar uma música dele que eu curto bastante.

Kboing - Qual o principal diferencial entre o álbum "Varrendo a Lua" (2010), lançado pela gravadora Deck, e o disco independente "Para Aquelas Perguntas Tortas"?
Roberta Campos -
Os arranjos, tive produtor, músicos incríveis gravaram no "Varrendo a Lua"...  O "Para Aquelas Perguntas Tortas" foi um álbum 'solitário', onde não compartilhei com ninguém as ideias e fazia tudo na medida do meu possível, com o que tinha e sabia. No “Varrendo a Lua” foi bem diferente, tive pessoas ali comigo o tempo todo. Foram duas experiências muito legais, porque no primeiro disco, com essa experiência 'solo' eu me conheci muito e já me senti pronta para gravar o "Varrendo a Lua".

Kboing - O seu mais recente trabalho, "Varrendo a Lua", conta com a participação de Nando Reis. Como foi gravar com ele?
Roberta Campos -
Foi muito especial! Sempre fui muito fã do Nando, desde a época dos Titãs. Ver a música tomando forma na voz dele foi um dos momentos mais lindos da minha vida...

Kboing - O que significa para você a atividade de compor músicas?
Roberta Campos -
Compor hoje é uma necessidade, é uma forma de falar comigo mesma e digo que guardo o tempo quando faço uma canção, quero sempre, pra sempre eternizar minha vida nas canções.
 
Kboing - É possível fazer uma música de amor sem ser meio cafona?
Roberta Campos -
O amor é brega, mas é o sentimento mais bonito que existe!! O que é considerado cafona para alguns, pode não ser por outros...

Kboing - Quem são os artistas, tanto escritores como compositores, que você admira o trabalho?
Roberta Campos -
Gosto de muita gente, vou começar pela música: Sou apaixonada pelo Milton Nascimento, The Beatles, Bob Dylan, Marisa Monte, Los Hermanos, Lô Borges, Beto Guedes, Paralamas do Sucesso, Coldplay... Gosto muito de poesia, Alice Ruiz, Paulo Leminsk, Carlos Drummond... Paulo Coelho, Guimarães Rosa, CS Lewis, Annie Rice, Jostein Gaarder, Emily Bronte...

Kboing - Como você avalia o poder da música em atingir as pessoas de formas diferentes?
Roberta Campos -
É mágico, acho que a música é a forma mais direta e fácil de fazer isso.
 
Kboing - Quais são seus próximos projetos? Planeja um DVD?
Roberta Campos -
Tenho muitas músicas novas, quero muito mostrá-las, não vejo a hora de fazer isso... Acho que antes do DVD vou entrar em estúdio e gravar um novo disco.

Kboing - Por favor, deixe um recado para os fãs de seu trabalho.
Roberta Campos -
Agradeço sempre o carinho das pessoas comigo e minhas canções, espero compartilhar esta felicidade com eles por muitos e muitos anos, muito obrigada por tornarem minha felicidade tão real.

Ouvir Roberta Campos  |  Letras de Roberta Campos