Baixista do Motlëy Crue admite que o grupo era machista e sexista

, 14h52, por Amanda Ramalho
Divulgação Instagram Motley Crue

O baixista Nikki Sixx contou durante uma entrevista ao site "Classic Rock", que a banda Motlëy Crue produzia muito conteúdo machista e sexista.

"Era um outro tempo. No ambiente de hoje, muito provavelmente o Mötley Crüe seria considerado machista. Assim como todo mundo [daquela época - década de 1980]", revelou.

Hooje, com 62 anos, Nikki disse que os tempos mudaram muito. "Na década de 1970, quando eu cresci, era a mensagem que chegava até mim, e você estava emulando seus heróis. Então, eu pensava: 'Nossa, isso é selvagem! Era muito perigoso, entende?'".

O músico citou o vocalista da banda Aerosmith, Steven Tyler, e os termos que eles também usavam, como por exemplo, na música "Pandora's Box". 

"Quando alguém está falando sobre armas, sexo e drogas, você pensa: 'Isso é muito perigoso, cara. Isso não é música para a mamãe e para o papai. Então, eram outros tempos, tempos diferentes. Você não pode reescrever a história, cara".

Fique por dentro de tudo o que rola no mundo da música. Curta nossa página no Facebook!

Ouvir músicas do Motlëy Crue