Nelson Gonçalves

A Média Luz (A Meia Luz)

Nelson Gonçalves

Corrientes, 348
Quem sobe ao segundo andar
Sem porteiro e sem vizinho
Só amor vai encontrar
Há um ambiente calmo
Neste quarto sedutor
Um telefone que avisa
Uma vitrola que chora
Velhos tangos e canções
E um gato de porcelana
Mudo assiste ao nosso amor

E tudo à meia-luz
Para brindar o amor
À meia-luz dos beijos
À meia-luz nos dois
E tudo à meia-luz
Crepúsculo interior
São suaves os desejos
À meia-luz do amor...
publicidade