Trincheira da Fuloresta (part. Siba e a Fuloresta) [Ao Vivo]

Nação Zumbi

[x2]
Cheguei, meu sangue está quente
Zumbindo igualmente, cavalo do cão

Coberto de arruda e liamba
E um ponto de samba na palma da mão.

[x2]
E eu vim bater mão ao cangaço
E cantar sem cansaço, querendo um calor

No verso, pimenta, e aguardente
Que comida quente é que tem mais sabor.

[x2]
No caminho, me aquilombei
No chão escutei quem ia e quem vinha

Quem é do samba deseja
Enfrenta a peleja com tropa de linha.

[x2]
A guarda formando a enchente
Descendo o batente não vem pra voltar

Só brigo soprando assovio
Que a chuva é pro rio e o rio só dá no mar.

[x2]
A tropa reúne de pronta
Quem tiver a conta que mande pra mim

Calcule, não renegue o preço
Que entrei no começo sem saber do fim.

  • publicidade