Gloria In Excelsis (Missa Agrária)/Carcará

Maria Bethânia

Glória a Deus Senhor nas alturas
E viva eu de amarguras
Nas terras do meu senhor

Carcará! Pega, mata e come
Carcará! Num vai morrer de fome
Carcará! Mais coragem do que homem
Carcará! Pega, mata e come
Carcará!

Lá no sertão
É um bicho que avoa que nem avião
É um pássaro malvado
Tem o bico volteado que nem gavião

Carcará quando vê roça queimada
Sai voando, cantando
Carcará vai fazer sua caçada
Carcará come inté cobra queimada

Quando chega o tempo da invernada
O sertão não tem mais roça queimada
Carcará mesmo assim num passa fome
Os burrego que nasce na baixada

Carcará! Pega, mata e come
Carcará! Num vai morrer de fome
Carcará! Mais coragem do que homem
Carcará! Pega, mata e come

Carcará é malvado, é valentão
É a águia de lá do meu sertão
Os burrego novinho num pode andar
Ele puxa no bico inté mata

Carcará! Pega, mata e come
Carcará! Num vai morrer de fome
Carcará! Mais coragem do que homem
Carcará! Pega, mata e come
Carcará!

"Em 1950 mais de dois milhões de nordestinos
viviam fora dos seus estados natais
10% da população do Ceará emigrou
13% do Piauí, 15% da Bahia, 17% de Alagoas"
[Carcará, Carcará, Carcará, Carcará, Carcará]

Carcará! Pega, mata e come
Carcará! Num vai morrer de fome
Carcará! Mais coragem do que homem
Carcará! Pega, mata e come