foto

Asa Aberta

Luiz Caldas

Descobri que sou um pássaro
Tenho pena pra você, pena de você
Eu fugi da sua gaiola, penitente, prisioneiro
Não nasci pra ser

De asa aberta, destino o ar
Não tenho hora nem porque ficar
Vou voando vou me libertar
Apago da memória o que deixei pra lá

O seu coração tem chave
Tem segredos como o que, difícil de entender
Me prender no seu descaso, me ter sem me querer
Só que me deixou...

De asa aberta com o destino o ar
Sem ter hora nem porque voltar
Voo brando sem me estressar
Vento no rosto e muito amor pra dar
publicidade