foto

A Mula Sem Cabeça

Lenine


SAIU DE MADRUGADA
OS CASCOS NA CALçADA
QUEM TAVA ADORMECIDA, ESCUTOU
A NOITE ENLUARADA
CRUZOU EM DISPARADA
O LAGO ONDE A SEREIA SE BANHOU
CORREU A NOITE INTEIRA
ERGUEU TANTA POEIRA
PERDEU-SE NOS CAMINHOS DE SERTÃO
OUVIU ATRÁS DO MORRO
LATIDOS DE CACHORRO
E O GRITO DE UM JAGUAR NA ESCURIDãO
O CÉU, AS ESTRELAS
OUVIAM MEU FADO
PASSEI NUM ROçADO
CHEGUEI NUM CAPIM
MARIA FUMAçA
COM OLHOS DE FOGO
PASSOU A DOIS METROS, GRITANDO PRA MIM
SUBI NO VÉU DA CACHOEIRA
BEBI A CHUVA QUE CAIU
TIREI FAGULHAS NOS LAJEDOS
CRUZEI PAREDE QUE SE ABRIU
MONTANHAS ESCONDIDAS
VEREDAS TÃO COMPRIDAS
E A BOCA DO ABISMO A ESPERAR
TROPEL NA ENCRUZILHADA
CANÇÃO MAL ASSOMBRADA
CORUJAS COM SEUS OLHOS DE LUAR
O CÉU, AS ESTRELAS
OUVIAM MEU FADO
PASSEI NUM ROçADO
CHEGUEI NUM CAPIM
MARIA FUMAçA
COM OLHOS DE FOGO
PASSOU A DOIS METROS, GRITANDO PRA MIM
publicidade