Amparados

Jorge Vercillo

Dormir com você
É um ritual sagrado
É não estar abandonado por Deus
Suspenso no ar, amparado
Dormir com você
É viver o prazer do prazer
é sonhar acordado
Eu sonho contigo dos tempos
da cana de açúcar
No escuro do engenho
Eu tampo sua boca com a minha
E te rendo na moenda
E levanto a sua saia

Oh filha mais bela
do sangue dos reis da Nigéria
Comprei seu
silêncio
deixando no
ar ameaças
Mas eu nunca percebi
Você já esperava ali por mim

Alheias a mim e a você
Replicam notícias, protestos na televisão
Nem a queda da bolsa,
nem mesmo
mais uma explosão
Só pelo lazer do prazer
Por entre suas pernas
Eu sigo entre seios e mãos
Alcançamos
o gozo e ali mesmo apagamos
no vácuo da
imensidão
Sonhamos pra frente
a quase mil anos futuros
Quando o ser humano
criará oceanos em Marte
e divide com outros seres
duas luas do sistema
Nós rimos da fome, da guerra
e dos tempos escuros
Quando nossa gente até
escravizou a si mesmo
Mas é hora de acordar
Que o despertador já vai gritar...
  • publicidade