Acendeu

Jorge Vercillo

Texto de Introdução:
"Nos Eões do Tempo, quando o planeta,
ainda unia seus elementos e separava
jovens continentes, emergia das profundezas
do Atlântico Recente, uma maravilha de arquipélago.
E por quê não considerarmos a hipótese de que:
cordilheiras, praias, rios e ilhas
possuem consciência independente,
dotada de complexa cadeia de raciocínio,
emoção, vibração e memória. E se hoje,
a própria ilha vier nos contar sua estória."

Estrofe 1:
Eu nasci quando a "Terra menina" erguia montanhas no fundo do mar
Continentes inteiros e mil "Himalaias" a se projetar
Deu vontade de ver tanta coisa surgindo do lado de cá
E emergi sobre as águas num rastro de Lua que entrou pelo mar

Refrão:
Acendeu, acendeu, acendeu, acendeu
Uma ilha no meio do mundo, tudo em volta é seu
Acendeu, acendeu, acendeu, acendeu
Sou uma ilha no meio do mundo, Tudo em volta é meu

Estrofe 2:
Quando o medo do desconhecido calava os olhos sedentos de céu
Onde cartas e mapas celestes guiavam seus mastros no breu
Quando as sombras da Idade Média ofuscavam o nosso pensar
Quando ainda juravam que o mundo acabava no abismo de um mar

Refrão:
Acendeu, acendeu, acendeu, acendeu
Uma ilha no meio do mundo, tudo em volta é seu
Acendeu, acendeu, acendeu, acendeu
Sou uma ilha no meio do mundo, tudo em volta é meu

Estrofe 3:
Que saudade daquela menina no espelho das águas com brilho de Sol
Hoje busco seu rosto na grande cidade em painéis de Neón
Onde tantos se calam e afogam seus sonhos pra sobreviver
Sou mais um a vagar solitário buscando a mim mesmo em você

Refrão:
Acendeu, acendeu, acendeu, acendeu (oh)
Uma ilha no meio do mundo, Tudo em volta é seu
Acendeu, acendeu, acendeu, acendeu
Sou uma ilha no meio do mundo, tudo em volta é meu

Verso final:
Uma ilha no meio do mundo
Tudo em volta é meu


Album: Como diria Blavatsky (2012)
Gravadora:
Ano: 2012
Faixa: 2
  • publicidade