foto

Bebete Vãobora - Criola - Cadê Tereza

Jorge Ben Jor

Bebete vamos embora
Pois, já está na hora

Bebete vamos embora
Pois, já está na hora

Olha que o galo cantou
O sol vai raiar
E você não parou de sambar
Eu sei que você me é fiel
Mas é que os vizinhos já estão
A olhar e falar
Eu sou o seu homem
E você minha mulher
E é que o nosso neném está chorando, está chorando, está chorando
Querendo mamar
E você sabe muito bem
Que logo mais
Eu tenho que trabalhar
Já não posso mais
Chegar atrasado
E nem pensar em faltar
Pois, o novo gerente
Não é lá muito meu amigo
E depois como é que
Eu posso comprar
Estando a perigo
Novas sandálias pra você sambar
Bebete, Bebete

Bebete vamos embora
Pois, já está na hora

Bebete vamos embora
Pois, já está na hora

Bebete vamos embora

Criola, criola
Criola, criola
Uma linda dama negra
A rainha do samba, mais bela da festa
A dona da feira, uma fiel representante brasileira
Criola

Filha de nobres africanos
Que pelo descuido geográfico
Nasceu no Brasil, num dia de carnaval
Criola

E como já dizia o poeta Gil
Que negra é a soma de todas as cores
Você, criola, é colorida por natureza
Você, criola, é o poder negro da beleza
Criola

Cadê Tereza?
Aonde anda minha Tereza?

Cadê Tereza?
Aonde anda minha Tereza?

Tereza foi ao samba lá no morro
E não me avisou
Será que arrumou outro criolo
Pois ainda não voltou

Cadê Tereza?
Aonde anda minha Tereza?

Cadê Tereza?
Aonde anda minha Tereza?

Tereza minha nêga, minha musa
Eu gosto muito de você
Sou um malandro enciumado, machucado
Que espera por você
Juro por Deus se você voltar
Eu vou me regenerar
Eu jogo fora meu chinelo
Meu baralho
E a minha navalha
E vou trabalhar

Eu jogo fora meu chinelo
Meu baralho
E a minha navalha
E vou trabalhar

Mas! Por Deus!
Cadê Tereza?
Aonde anda a minha Tereza?
Tereza, a minha glória nacional

Cadê Tereza?
A minha glória nacional...
publicidade