foto

A Tradição Não Morre Jamais

João Carreiro & Capataz

"Viola, hoje chora sentida nos braços meus
E a razão desta imensa saudade é que seu grande parceiro foi morar com Deus
Não só essa viola, como o país inteiro sente a falta desse ilustre violeiro:
José Dias Nunes, o saudoso Tião Carreiro!"

Viola, com você no meu peito
Me sinto um guerreiro pronto pra missão
Sou o seu recruta que vive e que luta
Só para manter essa tradição
De um povo caipira de interior
Canto com amor, coisas do sertão

Viola, com você nos meus braços
Não existe cansaço pra me dominar
Encaro os espinhos que a vida tem
Não deixo nada ou ninguém me desanimar
Espelhando em um homem que o tempo não consome
Sabendo que seu trono ninguém pode ocupar

Viola, nas mãos de tião carreiro
Grande rei violeiro que hoje descansa em paz
Viveu os seus dias de lutas e glórias
Ficou pra história e não morre jamais
E dando sequência nesta trajetória
Nos braços desta viola jão carreiro e capataz

O destino aqui me trouxe
Cantar pra você eu vou
publicidade
publicidade