Joanna

Negue / A volta do Boêmio

Joanna

Negue seu amor, o seu carinho
Diga que você já me esqueceu
Pise, machucando com jeitinho
Esse coração que ainda é seu
Diga que meu pranto é covardia
Mas não esqueça que você foi meu um dia

Diga que já não me quer
Negue que me pertenceu
Que eu mostro a boca molhada
E ainda marcada pelo beijo seu [2x]

Boemia, aqui me tens de regresso
E suplicante te peço a minha nova inscrição
Voltei, pra rever os amigos que um dia
Eu deixei a chorar de alegria
Me acompanha o meu violão

Boemia, sabendo que andei distante
Sei que essa gente falante vai agora ironizar
Ele voltou, o boêmio voltou novamente
Partiu daqui tão contente
Por que razão quer voltar?

Acontece que a mulher que floriu meu caminho
De ternura, meiguice e carinho
Sendo a vida do meu coração
Compreendeu e abraçou-me dizendo a sorrir
Meu amor você pode partir
Não esqueça o seu violão

Vá rever os seus rios, seus montes, cascatas
Vá sonhar em novas serenatas
E abraçar seus amigos leais
Vá embora, pois me resta o consolo e alegria
Em saber que depois da boemia
É de mim que você gosta mais
publicidade