Jair Rodrigues

Caridade

Jair Rodrigues

Não sei negar esmola
A quem implora a caridade
Me compadeço sempre de quem tem necessidade
Embora algum dia eu receba ingratidão
Não deixarei de socorrer a quem pedir um pão
Eu nunca soube evitar de praticar o bem
Porque eu posso precisar também

Sei que a maior herança que eu tenho na vida
É meu coração, amigo dos aflitos
Sei que não perco nada em pensar assim
Porque amanhã não sei o que será de mim

Não sei negar esmola
A quem implora a caridade
Me compadeço sempre de quem tem necessidade
Embora algum dia eu receba ingratidão
Não deixarei de socorrer a quem pedir um pão
Eu nunca soube evitar de praticar o bem
Porque eu posso precisar também

Sei que a maior herança que eu tenho na vida
É meu coração, amigo dos aflitos
Sei que não perco nada em pensar assim
Porque amanhã não sei o que será de mim
Porque amanhã não sei o que será de mim
Porque amanhã não sei o que será de mim
publicidade