Ivan Lins

Trinta Anos

Ivan Lins

Meu amor, eu já tenho trinta anos de projetos
Nada firme, nada claro, nada certo.
Meu amor, sei que nada vem a mim de mão beijada
Como chega para alguns bem mais felizes.
Sei também que não precisa ser difícil,
Arrastado, adiado, impossível como está.
Sei lá, sei lá, sei lá.

Meu amor, eu já tenho trinta anos de paciência
Esperando a minha vez, a minha hora.
Meu amor, tô guardando essa angústia e contratempos
Como quem estoca em casa os mantimentos.
Cada dia pesa mais do que pesava
dói o ombro, dói as costas, dói o peito, tudo enfim.
Sei lá, sei lá, sei lá.

Meu amor, eu já tenho trinta anos de remorsos
E gostaria de te dar mais do que posso.
Meu amor, são tão poucas horas loucas de carinho
Mas carinho só não basta, não sustenta.
Como se diz só te encho a barriga,
Eu te deixo mais bonita com os filhos que te fiz.
Sei lá, sei lá, sei lá.

Meu amor, eu já tenho trinta anos de futuro
E como dizem isso aqui é um paraíso.
Meu amor, eu já tenho trinta anos de esperança
De que a vida nos batesse calma e mansa.
Eu já tenho trinta anos de inocência
Dando chance, dando força, dando tempo pro país.
Sei lá, sei lá, sei lá.

Meu amor, eu já tenho trinta anos de trapézio
De cinema, de teatro, de platéia.
Meu amor, eu já tenho trinta anos de estrada
De caminhos, de atalhos maltraçados.
Eu já tenho trinta anos de carência
Dando o sangue, dando o corpo, dando a alma pro país.
Sei lá, sei lá, sei lá.
publicidade