foto

Teu Semblante

Fresno

Tudo é tão branco e sem razão
Não é um quarto, é uma prisão
E eu estou aqui tentando sair em vão
E nem que eu tente acordar
Não há como me concentrar
Pois o que passou marcou demais meu coração

E nada poderá mudar,
O meu destino que é vagar
Pelo meu quarto vendo o teu semblante...
Tudo que eu não quero lembrar,
Memórias custam a apagar,
Daria tudo pra ser como antes
Pra mim...

E quando eu tento apagar
Da minha mente o que vivi
Não resta nada pra me tornar feliz

E aí eu tento aceitar
Que assim vai ser melhor pra mim
Mas não dá para acreditar
Não dá...

E se algum dia eu me livrar
Eu não irei comemorar
Pois estaria atestando a desistência
Mas eu não posso aguentar
Ficar aqui nesse lugar
Ouvindo a voz da consciência que me diz...

Que nada poderá mudar
O meu destino que é vagar
Pelo meu quarto vendo o teu semblante
Tudo o que eu não quero lembrar
Memórias custam a apagar
Daria tudo pra ser como antes

E nada poderá mudar
O meu destino que é vagar
Pelo meu quarto vendo o teu semblante
Tudo que eu não quero lembrar
Memórias custam a apagar
Daria tudo pra ser como antes

publicidade