foto

Farol

Fresno

E nem de longe a gente pode disfarçar
O que há por trás da pele
Mas saiba que seu olho me emburrece mais
Do que as mentiras que eu li nos jornais de ontem
E se eu explodir, diga que vem me visitar
Pra juntar os pedaços de mim
Mas será que no corpo de um outro alguém
Meu coração pode funcionar, bem melhor?

Bem-aventurados os que mentem
Felizes são aqueles que não sentem
E eu, sentenciado à reclusão
A luz desse farol da solidão

Esse lampejo guia os barcos até o cais
Mas queima os nossos olhos
E é, pra que numa noite de escuridão
A gente encontre uma só razão
Para continuar vivendo
E a todo vapor
Navego até o mundo se dobrar
Sumindo no horizonte
Eu volto quando o tempo me fizer voltar
Tenho milhões de estrelas só pra me guiar

Bem-aventurados os que mentem
Felizes são aqueles que não sentem
E eu, sentenciado à reclusão
À luz desse farol da solidão

publicidade