foto

Minha Serenata

Francisco Alves

Nas noites de serenata
A minha voz se desata
Fugindo pela amplidão
É um triste sons doloridos
Que procuram seus ouvidos
Que buscam teu coração

E de dentro da neblina
De repente se ilumina
Uma joia nela qualquer
Meu olhar não se desvia
E uma janela sombria
Onde a minha fantasia
Pôs um vulto de mulher

Nas noites de serenata
A minha voz se desata
Fugindo pela amplidão
É um triste sons doloridos
Que procuram seus ouvidos
Que buscam teu coração

E mesmo na noite escura
Minha voz que te procura
Facilmente se condura
Eu canto e sinto orvalhados
Pela neblina molhados
Teu olhos iluminados
Tua janela em [?]
publicidade
publicidade