Falamansa

Forró De Tamanco / Forró De Sangue Novo (Ao Vivo)

Falamansa

No meu forró, entra preto e branco
Quero ver todo mundo calçadinho de tamanco
A noite inteira quero ver o barulhão
Das menininhas arrastando tamanco no chão

É é, tamanco e mulher
É é, tamanco e mulher
É é, tamanco e mulher
É é, tamanco e mulher

No meu tempo de criança
Eu era menino chato
Se não me falhe a lembrança
Eu só andava de sapato
Mas agora eu sou grande
E mudei de opinião
Acho muito bonitinho
O arrastante do tamanco no chão

É é, tamanco e mulher
É é, tamanco e mulher
É é, tamanco e mulher
É é, tamanco e mulher

Zeca de zefa dá no pé, vai na carreira
Corre na feira e avisa pra cabroeira
Que hoje vai ter forró, ter gandaieira
Pra gastar pouco e trazer troco na algibeira
E diz lá que voltou o xodó do povo
Que o forró rodou, rodou, voltou de novo
De sangue novo no tum-tum-tá-tá
Pras mulher fazer besteira
E pra gente se avergonhar

Ôi pisa, pisa, pisa menina
Olha a pisada, capricha nessa pisada
Como fosse a derradeira
Pisa, pisa, pisa menina
Olha a pisada, capricha nessa pisada
Pra chega comer poeira
Pra chega comer poeira
Pra chega comer poeira

Meu amor brigou comigo
Eu já sei qual a razão
Ela não gosta de forró
Mas eu gosto de montão
Se não me quer no forró
Se não me quer
Eu arranjo outra mulher
Mas meu forró não deixo não
publicidade