foto

O Mestre Sala Dos Mare - De Frente Pro Crime - Kid Cavaquinho

Emílio Santiago

A muito tempo nas águas da Guanabara
O dragão do mar reapareceu
Na figura de um bravo feiticeiro
A quem a história não esqueceu

Conhecido como navegante negro
Tinha a dignidade de um mestre sala
E ao acenar pelo mar na alegria das regatas
Foi saudado no porto pelas mocinhas francesas
Jovens polacas e por batalhões de mulatas

Rubras cascatas jorravam das costas dos santos
Entre cantos e chibatas
Inundando o coração do pessoal do porão
Que a exemplo do feiticeiro gritava então

Tá lá o corpo estendido no chão
Em vez de um rosto uma foto de um gol
Em vez de reza uma praga de alguém
E um silêncio servindo de amém

O bar mais perto de pressa lotou
Malandro junto com trabalhador
Um homem subiu na mesa do bar
E fez discurso pra vereador

Veio o camelo vender anel,
Cordão perfume barato
E baiana pra fazer pastel,
E um bom churrasco de gato

Quatro horas da manhã baixou
O santo na porta bandeira
A moçada resolveu pará
E então

Genésio a mulher do vizinho
Sustenta aquele vagabundo
Veneno é com meu cavaquinho
Pois se eu tô com ele encaro todo mundo
Se alguém pisa no meu calo
Puxo o cavaquinho pra cantar de galo

Oi quem foi só pega no cavaquinho
Pra nego bate
Más se eu contá o que pode um cavaquinho
Os homens não vão crê

Quando ele fere e fere firme e dói que nem punhal
Quando ele corta até parece pega na geral
Quando ele fere e fere firme e dói que nem punhal
Quando ele ivoca até parece pega na geral(2x)

compositores: Aldir Blanc,João Bosco
publicidade
publicidade