Elis Regina

Pot-Pourri

Elis Regina

O morro não tem vez
E o que ele fez já foi demais
Mas olhem bem vocês
Quando derem vez ao morro
Toda a cidade vai cantar

Escravo no mundo em que estou
escravo no reino em que sou
mas acorrentado ninguém pode amar
mas acorrentado ninguém pode amar

Feio não é bonito o morro existe
mas pedem pra acabar
canta mais canta triste
proque tristeza é só o que tem pra contar
Cora mais chora rindo porque valente
nunca se deixa quebrar
ama o morro ama amor bonito que pede aflito
que pede outra história

Vamos, carioca, Sai do teu sono devagar
O dia já vem vindo aí O sol já vai raiar
São Jorge, teu padrinho
Te dê cana pra tomar Xangô, teu pai, te dê
Muitas mulheres para amar

Saravá ogum
Mandinga da gente continua
Cadê o despacho pra acabar
Santo guerreiro da floresta
Se você não vem eu mesmo vou
Brigar

A felicidade é como a pluma
Que o vento vai levando pelo ar
Brilha tão leve, mas tem a vida breve
Precisa que haja vento sem parar

Subi lá no morro
só pra ver o que o negro tem
Pra sambar gostoso
e fazer samba como ninguém
Subi lá no morro
só pra ver o que o negro tem
Pra cantar gostoso
e fazer samba como ninguém

Vou andar por aí, perguntar por aí
Pra ver se eu encontro
A paz que perdi(2x)

A sorrir eu pretendo
levar a vida
Pois chorando eu vi
a mocidade perdida (2x)

Se alguém perguntar por mim
Diz que fui por aí
Levando um violão em baixo do braço
Em qualquer esquina eu paro
Em qualquer botequim eu entro
E se houver motivo
É mais um samba que eu faço
Se quiserem saber se volto diga que sim
Mas só depois que a saudade se afastar de mim
Só depois que a saudade se afastar de mim

Acender as velas já é profissão
Quando não tem samba, tem desilusão
Acender as velas já é profissão
Quando não tem samba, tem desilusão

Eu sou o samba
A voz do morro sou eu mesmo sim senhor
Quero mostrar ao mundo que tenho valor
Eu sou o rei dos terreiros
Eu sou o samba sou natural aqui do Rio de Janeiro
Sou eu quem leva a alegria para milhões
De corações Brasileiros

O morro não tem vez
E o que ele fez já foi demais
Mas olhem bem vocês
Quando derem vez ao morro
Toda a cidade vai cantar
publicidade