Edvaldo Santana

Pra Viver é Sempre Cedo

Edvaldo Santana

Eu não dirijo carro nâo uso celular
Procuro um lugar calmo que eu possa trabalhar
Não quero ser um crente com medo do senhor
Pois Deus não deu patente pra padre e pra pastor
A morte está em cena na imprensa pop show
Sintoma da doença que a ciência não curou
Aposto minhas fichas em quem me tem amor
Não quero ser a caça muito menos caçador

É pra viver é sempre cedo
Na hora do fracasso só ficou
Quem aprendeu lhe dar com o medo
É quem é que não quer sossego
Parece que o sucesso demorou
Para encontrar o seu segredo

Eu não sigo novela nem gincana de amador
Não sirvo de modelo para a mídia de metrô
Não pego mau olhado desliga o monitor
Eu não sou obrigado a sorrir no elevador
Não gosto de quem manda não como sem sabor
Depende com quem anda pra saber onde é que eu vou
Não quero sua arma e nem o seu pavor
Eu gosto da alegria do lugar que me criou

É pra viver é sempre . . .

Não quero sua grana e nem o seu lugar
Não vou dormir com a fama não quero me isolar
Procuro um idioma pra me comunicar
Só quero ver o samba rap blues se misturar
Não gosto de futrica não falo com cagueta
Não tem B.O na fita não pago pra ninfeta
Sou negro índio velho na Sinhá na Jacuí
Palavra que eu canto tem Tupã e tem Zumbi

texto incidental-(Rappin’ Hood)
Se a corrida é pelo certo eu tô, tô lado a lado
Aliado com comédia não vou, tô sossegado
Se o bicho tá pegando parceiro, não vou correr
Se a fita é da boa ladrão ,vou me envolver
Andando junto com vacilão nunca me viu
Não faço amigos com intenção no metal vil
Se a policia vim me perguntar não tô ligado
Eu gosto sempre de estar bem acompanhado
Hood e Edvaldo Santana só os bambas
Mais um hip-hop com blues, mpb, samba
Pra ser feliz sem medo pra andar no sossego
Pois pra viver é sempre cedo
publicidade