Edvaldo Santana

Indulgência

Edvaldo Santana

Não me contamine com a sua amargura
Não é nesta altura da vida, que vou me desesperar
Tenho muito respeito pela sua cultura
Mas esta postura, meu rei, não é popular
O conhecimento que provém da leitura
Precisa da vida para se revelar
O ressentimento envenena a loucura
E esconde a ternura que se tem no olhar

Deixe que a bondade more bem perto da gente
E esteja presente na hora que o orgulho chegar
Pra que a humanidade esqueça as nossas diferenças
E retire de sua sentença o poder de julgar
publicidade