Ednardo

Ednardo

MPB

Desconcerta -Te

Ednardo

Já foi mais agora menos
Mesmo que ainda queira ser muito
Esse menino caveloso fala a toa dessa alegoria
Alegre ou triste sempre vamos juntos
E você não me conhece

Mas meu corpo e o meu verbo insiste
E resiste ao chutes do polir dos sapatos
Que você disfarça em alpercatas e rabichos

Já foi mais agora menos
Mesmo que ainda queira ser muito
Esse menino caveloso fala a toa dessa alegoria
Alegre ou triste sempre vamos juntos
E você não me conhece

Mas meu corpo e o meu verbo insiste
E resiste ao chutes do polir dos sapatos
Que você disfarça em alpercatas e rabichos

Meus dedos pisados nessa violência
Sangraram em cume a espera
E você nunca sacou, sacou, sacou

E ainda toca desarmonia desse acordar
E a minha voz lampeja nas manhãs
Desse colo idular

Luminando raios, luminando raios
E antes tarde do que nunca
Acontece coração peça e trança tua teia irmão
Más disconcerta de tudo garante o fácil
A falsa calmaria, dessa atitude sádia

Longe de tudo valia minha emoção
Vamos até o fim, vamos até o fim
Vamos até o fim, vamos até o fim
  • publicidade