Dudu Nobre

Vou Botar Teu Nome Na Macumba - Posso Até Me Apaixonar

Dudu Nobre

Eu vou botar teu nome na macumba
Vou procurar uma feiticeira
Fazer uma quizumba pra te derrubar, o iá iá
Você me jogou um feitiço, quase que eu morri
Só eu sei o que sofri
Que Deus me perdoe mas vou me vingar

Eu vou botar o teu retrato num prato com pimenta
Quero ver se você guenta a mandinga que eu vou te jogar
Raspa de chifre de bode, pedaço de rabo de jumento
Tu vais botar fogo pela venta e comigo não vai mais brincar

Asa de morcego, corcova de camelo pra te derrubar
Uma cabeça de burro, pra quebrar o encanto do seu patuá
Olha tu podes ser forte mas tem que ter sorte para te salvar
Toma cuidado comadre com a mandinga que eu vou te jogar

Gosto que me enrosco
Num rabo de saia
Quero carinho, quero cafuné
Esse teu decote me tira o sossego
Vem me dar um chamego se você quiser
O seu remelexo é um caso sério
Esconde um mistério que eu vou desvendar
Mas você, pitéuzinho
Faz logo um charminho pra me maltratar

Não faz assim
Que eu posso até me apaixonar

Fingindo inocente
Toda saliente
Vem me olhando diferente
Chego a estremecer
Meu Deus, que avião
Chamando minha atenção
Balança meu coração
E quer me enlouquecer
Machuca esse teu nêgo
Eu não vou pedir arrego
Não vou fraquejar
Você está fazendo jogo duro
Só penso no teu sussurro
Dentro de um quarto escuro
Querendo me amar
Não faz assim...

Pedaço de mau caminho
Esse seu umbiguinho
Me deixa em desalinho
Juro que não ligo
Já é do métier
Pôr uma saia de crochê
Ou um belo bustiê
Só pra acabar comigo
Senhor como é que pode
Essa nêga no pagode chega pra abalar
O corpo queimado de praia
Blusa tomara-que-caia
Noite inteira na gandaia
Ela só quer sambar



publicidade