Nó Na Madeira (Ao vivo)

Diogo Nogueira

Eu sou é madeira
Em samba de roda já dei muito nó
Em roda de samba sou considerado
De chinelo novo brinquei carnaval, carnaval

Sou é madeira
Meu peito é do povo do samba e da gente
E dou meu recado de coração quente
Não ligo à tristeza, não furo, eu sou gente

Eu sou é madeira
Trabalho é besteira, o negócio é sambar
Que samba é ciência e com consciência
Só ter paciência que eu chego até lá

Sou nó na madeira
Lenha na fogueira que já vai pegar
Ser fogo que fica ninguém mais apaga
É a paga da praga que eu vou te rogar, devagar
  • publicidade