foto

Cartas Marcadas

Déborah Blando

Cartas marcadas, sua vez de apostar
A noite afora vai buscar jogos de azar
Voz de veludo, golpe sujo pra me conquistar
Um quarto escuro e um olhar quase vulgar

Não vou me impressionar
Classe e carro tenho não é você quem vai me dar
Não sou alguém pra comprar, não
Desistir ás vezes é saber ganhar

Águas passadas não vão me consolar
Frase de efeito é lugar tão familiar
Dono do mundo, pode tudo, só quer me dominar
No teu impulso, numa língua de afiar

Não vou me impressionar
Classic Card tenho, não é você quem vai me dar
Não sou alguém pra comprar, não
Desistir ás vezes é saber ganhar

Celebridades, sobremesas
Vão me dar muito prazer
Mil diamantes, compromissos
Não vão me convencer

(Não vou me impressionar)
(Classic Card tenho, não é você quem vai me dar)
(Não sou alguém pra comprar, não)
(Desistir ás vezes é saber ganhar)

Oh, não!
Oh, nã, nã, nã, nã, não
Oh, nã, nã, nã, nã, não
Perceber

Não vou me impressionar
Classic Card tenho, não é você quem vai me dar
Não sou alguém pra comprar, não
Desistir ás vezes é saber ganhar

Esse romance descartável
Não vai satisfazer
Mil diamantes importados
Não vão me convencer
Conto de fadas, Cinderelas
Só existem no papel
Cartas marcadas, ás de espadas
A jogada mais cruel
publicidade
publicidade